Nossa Senhora de La Salette

A Virgem Maria na Congregação dos RSV

Nossa Senhora das Vitórias

Honraremos de modo todo especial a Bem-aventurada Virgem Maria, que ocupa um lugar único no projeto de Deus.

Na nossa Congregaçao, a devoção marial é considerada como uma preciosa herança do Padre Le Prevost e de nossos primeiros irmãos. Alimentando esta devoção nas verdadeiras fontes de fé, invoca­remos Maria sob os títulos de Reconciliadora dos pe­cadores e de Mãe do Bom Conselho.

Nossa Senhora de La Salette em nossa história

chapelle

No momento em que a Virgem Maria se manifestava na montanha de La Salette a duas crianças, no dia 19 de setembro de 1846, os primeiros Irmãos de São Vicente de Paulo, o fundador Jean-Léon Le Prevost e os Irmãos Clément Myionnet e Maurice Maignen, começavam a sua missão de evangelização dos operários e dos pobres.

Convencido de que a aparição de La Salette era uma confirmação do carisma da Congregação nascente, o Sr. Le Prevost prometeu à Virgem Maria de edificar um santuário em sua honra e construiu, dez anos depois, em 1856, o Santuário Notre-Dame de La Salette em Paris. As origens da Congregação e a história maravilhosa do Santuário são, praticamente, contemporâneas às aparições de Nossa Senhora na montanha de La Salette.

A capela Nossa Senhora de La Salette foi o primeiro santuário construído em Paris como lembrança da aparição da Virgem Maria aos pequenos pastores.

A primeira pedra foi posta no dia 21 de novembro de 1856. A bênção e a inauguração foram realizadas no dia 18 de setembro de 1858. Ampliada em 1886, ela conservou a seus traços iniciais (sua arquitetura inicial). Hoje, nela se encontram os túmulos do Venerável Jean-Léon Le Prevost e do Servo de Deus Padre Henri Planchat, fuzilado durante a Comuna de Paris no dia 26 de maio de 1871, na rua Haxo.

 

Visita detalhada do santuário de Paris

 

Maximin e Mélanie e a primeira aparição

Notre Dame de la Salette

Os dois pastorinhos – Maximin Giraud e Mélanie Calvat – tiveram uma visão da Virgem Maria numa montanha perto de La Salette, França, a 19 de Setembro de 1846, por volta das três horas da tarde. Fazia muito sol.

Maximin Giraud e Mélanie Calvat haviam recebido apenas uma muito limitada educação.

A aparição consistia em três fases diferentes. As crianças viram, numa luz resplandecente, uma bela dama em um estranho costume, falando alternadamente em francês e no dialeto local[1] do occitano[2] . Ela estava sentada sobre uma pedra, e as crianças relataram que a “Belle Dame” estava triste e chorando, com seu rosto descansando em suas mãos. A Bela Senhora pôs-se de pé. E disse: “Vinde, meus filhos, não tenhais medo, aqui estou para vos contar uma grande novidade!

Se meu povo não se quer submeter, sou forçada a deixar cair o braço de meu Filho. É tão forte e tão pesado que não o posso mais.

Notre Dame de la SaletteHá quanto tem
po sofro por vós.

Dei-vos seis dias para trabalhar, reservei-me o sétimo, e não o querem conceder! É isso que torna tão pesado o braço de meu Filho.

E também os carroceiros não sabem jurar sem usar o nome de meu Filho. São essas as duas coisas que tornam tão pesado o Seu braço.

Se a colheita for perdida a culpa é vossa (…) Orai bem, fazei o bem.

Se a colheita se estraga, e só por vossa causa, Eu vo-lo mostrei no ano passado com as batatinhas: e vós nem fizestes caso! Ao contrário, quando encontráveis batatinhas estragadas, blasfemáveis usando o nome de meu Filho. Elas continuarão assim e, neste ano, para o Natal, não haverá mais.

Então, as crianças descem até a Bela Senhora. Ela não parava de chorar. Segundo os relatos das crianças a Senhora era alta e toda de luz. Vestia-se como as mulheres da região: vestido longo, um grande avental, lenço cruzado e amarrado às costas, touca de camponesa. Rosas coroavam sua cabeça, ladeavam o lenço e ornavam seu calçado. Em sua fronte a luz brilhava como um diadema. Sobre os ombros carregava uma pesada corrente. Uma corrente mais leve prendia sobre o peito um crucifixo resplandecente, com um martelo de um lado, e de outro uma torquês. Assim a Bela Senhora falou em segredo a Maximino e depois a Melânia.

E novamente, os dois em conjunto ouvem as seguintes palavras: “Se converterem, as pedras e rochedos se transformarão em montões de trigo, e as batatinhas serão semeadas nos roçados” E a Bela Senhora conclui, não mais em patois, e sim em francês: “Pois bem, meus filhos, transmitireis isso a todo o meu povo.” Terminou assim a aparição. Segundo as crianças ela andava, mas as plantas de seus pés não esmagavam a relva, quase não dobravam os talos. Mélanie correu e a contemplou de novo lá no alto. E depois, segundo ela, viu o rosto e a figura da Senhora desaparecendo à medida que a luminosidade aumentava.

A mensagem de La Salette

Em sua aparição em La Salette, Nossa Senhora deixou uma mensagem que diz muito da realidade que vivemos em nosso tempo.

A mensagem de Nossa Senhora de La Salette

Nossa Senhora de La Salette

Nossa Senhora confiou uma mensagem aos videntes Maximino Giraud e Mélanie Calvat, em sua aparição em La Salette, na França, em 19 de Setembro de 1846. No início da aparição, ambos viram a Santíssima Virgem sentada sobre uma enorme pedra. Ela tinha o rosto entre as mãos e chorava amargamente. As duas crianças foram até a Bela Senhora, que não parava de chorar. A Virgem Maria explicou a Maximino e a Mélanie que chorava pelos pecados da humanidade e que deveríamos rezar para que o braço de seu Filho Jesus não pesasse sobre a Terra. Além, da mensagem, confiada aos dois videntes, pedindo oração e penitência pela humanidade, a Mãe de Deus confiou a Mélanie um segredo, que deveria ser revelado somente em 1858. Em 1852, o Papa Pio IX aprovou a aparição e reconheceu a origem celeste da mensagem. O Papa Leão XIII também reconheceu e apoiou a mensagem de La Salette e o Papa João Paulo II considerou-a como “o coração das profecias de Maria”.

Num primeiro momento, Nossa Senhora fala da infidelidade de muitas almas consagradas a Deus: “Os sacerdotes, ministros de meu Filho, pela sua má vida, sua irreverência e impiedade na celebração dos santos mistérios, pelo amor do dinheiro, das honrarias e dos prazeres, tornaram-se cloacas de impureza. Sim, os sacerdotes atraem a vingança e a vingança paira sobre suas cabeças. Ai dos sacerdotes e das pessoas consagradas a Deus, que pela sua infidelidade e má vida crucificam de novo meu Filho! Os pecados das pessoas consagradas a Deus bradam ao Céu e clamam por vingança. E eis que a vingança está às suas portas, pois não se encontra mais uma pessoa a implorar misericórdia e perdão para o povo. Não há mais almas generosas, não há mais ninguém digno de oferecer a vítima imaculada ao [Pai] Eterno em favor do mundo”1.

Depois, a Virgem Maria profetiza sobre a família e a sociedade e quais os males que se seguirão. Destas profecias, apresentamos aquelas que são mais significativas e que dizem respeito também ao nosso tempo: “Os chefes, os condutores do povo de Deus negligenciaram a oração e a penitência. E o demônio obscureceu suas inteligências. Transformaram-se nessas estrelas errantes, que o velho diabo arrastará com sua cauda para fazê-las perecer. […] Os maus livros abundarão sobre a Terra, e os espíritos das trevas espalharão por toda parte um relaxamento universal em tudo o que se refere ao serviço de Deus. […] Deus vai golpear de modo inaudito. Ai dos habitantes da Terra. Deus vai esgotar sua cólera, e ninguém poderá fugir a tantos males acumulados. […] Toda ordem e toda justiça serão calcados aos pés. Não se verá outra coisa senão homicídios, ódio, inveja, mentira e discórdia, sem amor pela pátria e sem amor pela família. […] Os governantes civis terão todos um mesmo objetivo, que consistirá em abolir e fazer desaparecer todo princípio religioso para dar lugar ao materialismo, ao ateísmo, ao espiritismo e a toda espécie de vícios. […] Os maus estenderão toda sua malícia. Até nas casas as pessoas matar-se-ão e massacrar-se-ão mutuamente. […] Os justos sofrerão muito. Suas orações, sua penitência e suas lágrimas subirão até o céu e todo o povo de Deus pedirá perdão e misericórdia. E pedirá minha ajuda e intercessão”2.

A aprovação da Igreja

Notre Dame de la SaletteEsta Aparição da Virgem Santíssima em França foi reconhecida e aprovada pela Igreja, em 1851. O texto dos Segredos não foi incluído neste Aprovação, já que foram divulgados posteriormente a esta data. O Bispo de Grenoble, a que pertence La Salette, encarregou dois teólogos da investigação da Aparição e de todas as curas registadas. Durante cinco anos fizeram minuciosas investigações.

Em toda a França, aproximadamente em oitenta lugares diferentes, os bispos encarregaram sacerdotes que investigassem as Curas Milagrosas através das orações a Nossa Senhora de La Salette e da água da fonte. Centenas de Graças foram registadas. O Santo Padre Pio IX aprovou a devoção a Nossa Senhora de La Salette. Pediu aos jovens que lhe enviassem o relato dos segredos por escrito. Tempo depois dirá o Santo Padre Pio IX: “Estes são os segredos de La Salette; se o mundo não se arrepender, perecerá”.

Estas são as Palavras do Papa João Paulo II, sobre La Salette: “Neste lugar, Maria, a Mãe sempre amorosa, mostrou sua dor pelo mal moral causado pela humanidade. Suas lágrimas nos ajudam a entender a gravidade do pecado e a rejeição a Deus, enquanto manifestam ao mesmo tempo a apaixonada fidelidade que Seu Filho mantém com relação a cada pessoa, embora Seu amor redentor esteja marcado com as feridas da traição e do abandono dos homens.” – 4 – MensagemdeLaSalette.doc Várias congregações foram fundados pela inspiração de La Salette, entre as quais os Missionários e as Irmãos de Nossa Senhora de La Salette, qu

 

O Santuário sobre a Montanha

No dia 1º. de maio de 1852 Dom Felisberto de Bruillard publica novo mandamento, anunciando a construção de um santuário sobre a montanha de La Salette, e a criação de um grupo de missionários diocesanos a quem dá o nome de “Missionários de Nossa Senhora da Salette”. E acrescenta:- “A Santa Virgem apareceu em La Salette para o mundo inteiro, quem disso pode duvidar?”. O futuro irá confirmar e ultrapassar estas expectativas, assegurado o elo de ligação. Pode-se pois dizer que Maximino e Melânia cumpriram sua missão.

Se encontra no coração da montanha, a 1800 metros de altitude, nos Alpes franceses. O santuário e a Hospedaria foram confiados pela Diocese de Grenable a Associação dos Peregrinos de La Salette. Os Missionários e as irmãs de Nossa Senhora da Salette asseguram sua animação e funcionamento. O dia-a-dia é tomado pela Eucaristia e os Ofícios da Manhã e da Tarde, vigílias e procissões, terço e via-sacra… sem esquecer a oração silenciosa sempre possível na montanha ou nos oratórios.

Links externos

Leituras e filmes recomandados

Mensagem: http://www.amen-etm.org/MensagemdeLaSalette.pdf

Filme: https://gloria.tv/media/jztezFuoGYN

Message du Supérieur général des Religieux de St-Vincent de Paul pour l'anniversaire de la Congrégation fondée à Paris le 3 mars 1845.

Santuário de Paris

Em 1856, Jean Léon Le Prevost fez construir em Vaugirard perto de Paris um pequeno santuário em honra de Nossa Senhora de La Salette.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest